Experiência

Minha formação é em Engenharia Eletrônica pela Poli de S.Paulo (1973), com mestrado em Microeletrônica. Logo após formado, fiquei na Poli como pesquisador em Microeletrônica, por cerca de 7 anos. Fazia pesquisas e pós-graduação no Laboratório de Microeletrônica da EPUSP. Em 1977 apresentei dissertação de Mestrado e logo parti para o Doutorado.

Nesta época, já em 1981, tomei contato com os microcomputadores e vi que poderia me desenvolver profissionalmente nesta área. O que sempre mais quis, e ainda é meu objetivo maior, é algo que posso definir como "ver resultados acontecerem". Na Universidade eu já tinha percebido que seria muito difícil ter o resultado de pesquisa minha ser transformado em produto, de modo que resolvi sair da Universidade.

Abri então um escritório de desenvolvimento de softwares para microcomputadores, Ramo Sistemas Digitais, com ênfase na área de ERP (Contas a Receber / Pagar / Estoques / Faturamentos). Fui aprendendo com os especialistas nestas áreas o que era necessário e desenvolvi, sempre com uma equipe bastante reduzida, todo um software integrado de ERP. Primeiramente em uma linguagem sem banco de dados, seguindo a tecnologia da época (linguagem Basic). Posteriormente, reescrevi todo o software em banco de dados multiusuário (Dataflex).

Em 10 anos de atividades desta empresa - RAMO SISTEMAS DIGITAIS - tivemos por volta de uns 600 clientes, isto em uma época inicial da microinformática (por questões de sigilo profissional não listo aqui tais empresas, mas caso haja necessidade posso providenciar).

O que mais me desafiava era a necessidade de atender às diversas demandas dos vários usuários. Constantemente havia um desafio novo e quase sempre conseguia superá-lo. Cada administrador tem hábitos que são diferentes dos outros, mesmo em áreas semelhantes, de modo que a cada mudança de gestor do cliente, precisava criar alguma adequação. Havia ainda e principalmente, as demandas por empresas que usavam várias moedas, empresas que usavam grades de produtos no Estoque (calçados, têxteis), e muito mais. O grande desafio era atender às demandas do negócio e do gestor, mantendo apenas um código fonte para todos os clientes. Desta maneira as eventuais implementações, correções, mudanças legais, podiam ser distribuídas para toda a base de clientes.

Após 10 anos em função dos avanços tecnológicos, houve a necessidade de se reescrever os programas para o novo Windows, que estava se espalhando pelo mercado. Como seria a 3ª. vez que iria reescrever o software para chegar ao mesmo resultado final, comecei a procurar alguma outra possibilidade no mercado e descobri o Gerador de Relatórios, Crystal Reports, que me encantou.

Já nesta época, a quantidade de dados digitada e armazenada nos computadores era bastante importante, mas a retirada e análise destas informações era muito rudimentar e lenta. O Gerador de Relatórios viabilizava o acesso a estas informações, virtualmente em qualquer banco de dados, servindo de eficiente ferramenta para o fornecimento aos gestores de informações úteis, bem diagramadas, com recursos gráficos e imediatas.

Em 1995 saí da empresa Ramo e criei outra empresa - Etz Informática - para a distribuição, e suporte técnico, no Brasil do software mais popular de Geração de Relatórios, o Crystal Reports. Estava sentindo um conflito de interesses entre os clientes do Gerador de Relatórios (muitos eram desenvolvedores de software) e a Ramo. Desta maneira optei por deixar a Ramo, evitando possibilidade de conflitos éticos.

A minha orientação à minha equipe na Etz Informática não era apenas o de vender cópias do Crystal Reports, mas dar treinamento, suporte permanente e consultoria, de modo que este investimento fosse realmente útil aos gestores.

Em 10 anos de atividades, até minha saída em 2005, atendemos a alguns milhares de clientes, seja apenas na venda das licenças, seja no suporte, treinamento e consultoria (por questões de sigilo profissional e acordos "NDA" não listo aqui tais empresas, mas caso haja necessidade posso providenciar).

A equipe da Etz Informática chegou a ser de 40 pessoas e me orgulho muito de sempre ter respeitado todos princípios éticos de comércio com fornecedor estrangeiro. Todas as cópias por nós vendidas foram rigorosamente paga a eles.

Em 2005 com a aquisição da Crystal pela Business Objects, que tinha escritório no Brasil, a orientação dos negócios no Brasil foi centralizada neste escritório.

Desde 2005/2006 deixei a Etz e passei a fazer consultorias específicas, utilizando toda minha experiência em implementações de software, toda a minha energia em "fazer acontecer" e sempre procurando passar a nossa inteligência ao computador, não usá-lo apenas como máquina de escrever. Existem várias possibilidades de resolução de situações aparentemente complexas, com o uso de ferramentas de software relativamente baratas, auxiliando o mais importante que é nossa criatividade e capacidade de entendimento da necessidade do gestor.

Esta metodologia desenvolvida por todos estes anos, esta capacidade de transformar as necessidades do gestor em informações utilizáveis, está sendo usada por mim usada nos clientes.

O meu trabalho, que rotulo como "Arquiteto de Sistemas de Software" é o de entender as demandas, criar ferramentas com o mínimo de programação, e passá-las para os usuários.

Cabendo aqui um resumo, diria que a idéia principal é entender e passar as demandas dos gestores para o computador. Assim, são disponibilizadas informações confiáveis, úteis, e fácil acesso para leigos em Informática, dentro da realidade e necessidades e evolução de cada empresa.